esporte, Futebol Masculino

Um manifesto aos clubes, à imprensa, ao futebol: o goleiro Bruno assassinou uma mulher

goleiro_bruno

Quantos casos de violência doméstica, feminicídio e pensões alimentícias ignoradas os clubes legitimam quando decidem apelar para um marketing sádico e doentio?

*Por Juliana Arreguy

Como torcedoras e mulheres ligadas ao futebol, sentimos que é de nossa responsabilidade nos posicionar sobre o caso do goleiro Bruno.

Sequestro e cárcere privado do filho, homicídio triplamente qualificado e ocultação do cadáver de Eliza Samúdio. Bruno foi apontado como mandante do crime e condenado a 22 anos e três meses de prisão. Cumpriu menos de sete anos de pena.

Por mais “incrível” que possa parecer, é essa a parte mais importante dessa história. E que, aparentemente, clubes de futebol e a própria imprensa – que tem feito notícias e mais notícias sobre o assunto sem sequer mencionar o motivo pelo qual Bruno estava na cadeia – esqueceram. É preciso lembrá-los incansavelmente: Bruno foi condenado por assassinar uma mulher. A sua mulher.

Segundo o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que concedeu o pedido de habeas corpus feito pela defesa do jogador, o goleiro tem o direito de aguardar em liberdade o julgamento de sua apelação ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG).

O que nos chocou brutalmente em 2010 parece não ter impressionado algumas equipes de futebol. Lúcio Adolfo, advogado de Bruno, afirma que o goleiro recebeu propostas de nove clubes brasileiros, dois deles da Série A, espalhados entre Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Brasília. Uma eventual contratação de Bruno é um desacato às mulheres.

eliza-samudio

O que entra em discussão não é apenas o processo de ressocialização do goleiro. Assim como qualquer ex-presidiário, Bruno tem direito a uma segunda chance perante a sociedade. Interessante que os clubes se interessem por políticas de inclusão. Ou será que, na verdade, a inclusão só é pensada quando se trata de um goleiro acima da média?

Quantos desses clubes estão, de fato, preocupados com a reintegração à sociedade? Quantas equipes são solidárias e oferecem oportunidades a outros egressos? E se fosse para contratar um porteiro, um segurança, ou qualquer outro funcionário que tivesse alguns anos de cadeia? Os clubes também demonstrariam tanta boa vontade?

Na cadeia, Bruno escolheu a religião. Escolheu uma nova esposa. Escolheu uma nova vida. Após a saída do cárcere, poderá escolher entre nove clubes. Bruno escolheu o homicídio de Eliza Samúdio. Mais vale uma mulher silenciada que um filho alimentado. Eliza não teve direito a um velório, seus parentes não puderam enterrar seu corpo. Até o direito a um caixão, depois de morta, lhe foi negado por aquele que escolheu não pagar a pensão do filho.

Que tipo de mensagem os clubes passam aos torcedores, e sobretudo torcedoras, quando decidem contratar o goleiro Bruno?

A mensagem é cristalina: matar mulheres é o de menos na nossa sociedade. É como se nossas vidas fossem desimportantes, inferiores, descartáveis. Consideram a gravidade a que se expõe o caso? Como funciona isso para torcedoras, funcionárias dos clubes, profissionais da imprensa e outras mulheres que fazem parte da rotina do futebol?

bruno

Bruno pode não ser mais uma ameaça a nós, mas é um lembrete recorrente de que assassinos de mulheres, no Brasil, aguardam julgamento em liberdade. Circulam pelas ruas, pelos gramados e pelos estádios em prol da segunda chance que não deram a suas vítimas. Os holofotes a que será exposto o mandante de um assassino brutal não valem a segurança das mulheres do esporte.

Bruno assinou contrato com o Montes Claros-MG em fevereiro de 2014, mesmo preso. O diretor do Peñarol-AM, em entrevista ao Globoesporte.com, afirmou ter se interessado pelo goleiro “para elevar o marketing do clube”. Ou seja: o marketing do clube vale mais que a vida de uma mulher.

Quantos casos de violência doméstica, feminicídio e pensões alimentícias ignoradas os clubes legitimam quando decidem apelar para um marketing sádico e doentio?

Pedimos aos clubes, à imprensa e ao futebol que se lembrem: Bruno assassinou uma mulher. Que a sua segunda chance não seja uma forma de ofuscar os riscos aos quais nos submetemos diariamente. Que todos se lembrem: o corpo de Eliza Samúdio nunca foi encontrado.

16 Comments

  1. Gostei bastante do texto Renata, eu só queria expor uma ideia que eu acho que ficou perdida.
    O Bruno cometeu um crime, foi julgado, condenado e pagou o tempo que a justiça achou que deveria pagar. Ganhando liberdade condicional ou não eu, não consegui entender porque os clubes não deveriam contratar ele.
    O Bruno foi um grande goleiro, titular por anos no flamengo (o que não é pouca coisa!) e que ainda pode contribuir em alguma equipe por ai. Ele deve cumprir a sua pena e ganhar uma nova chance se algum clube quiser. Eu acredito que ser goleiro seja a unica coisa que ele fez na vida e que saiba fazer.
    Que fique claro que eu não estou e nem vou nunca menosprezar a vida de uma mulher ou qualquer vida que seja, só acho que um homem que pagou sua divida com a sociedade merece uma segunda chance de fazer a unica coisa que sabe, que é ser goleiro!
    Acredito de verdade que vida nenhuma valha a carreira do bruno e que ele deveria ficar bem mais tempo preso, mas acreditar no talento dele e dar uma chance não é desrespeitar as mulheres, nossa sociedade desrespeita as mulheres o tempo todo na TV, nas musicas, nos tribunais, na moda, nas ruas e nos estádios, eu acho que esse deveria ser o desrespeito que vocês tinham que se organizar pra combater e fazer do Brasil um lugar mais justo e igual para as mulheres e não um lugar mais discriminatório e injusto pra quem precisa de uma segunda chance.

    1. Carlos, Veja se realmente ele cumpriu a pena…

      Sequestro e cárcere privado do filho, homicídio triplamente qualificado e ocultação do cadáver de Eliza Samúdio. Bruno foi apontado como mandante do crime e condenado a 22 anos e três meses de prisão. Cumpriu menos de sete anos de pena.

      Ele está usando as falhas do sistema para se beneficiar…Acha realmente que ele deve voltar à vida normal??
      E tem mais!!! ele acabou de pedir um exame de DNA da criança!! Que importância ele está dando para essa criança que perdeu a mãe?
      Por isso, sou a favor dele voltar à prisão e cumprir a sua pena. Simples assim.

      1. Ainda bem que o único lugar em que você pode expor sua tese de julgamento é na internet, Maria Isabel. Pq ela é totalmente inepta. Quem julga são as instituições legitimadas para tal e não qualquer bestinha com espaço para se manifestar pela web. Parabéns pelo post, Carlos!

    1. SE VIVESSIMOS NUA PAÍS SÉRIO ELE E TANTOS OUTROS CANALHAS IRIAM PARA A PRISÃO PERPÉTUA OU ATÉ A PENA DE MORTE .

  2. A libertação desse bárbaro criminoso Bruno é uma dos acontecimentos mais hediondos deste país. Que, aliás, é pleno em crimes hediondos. Mas, o Poder Judiciário, no caso do goleiro Bruno, se superou em misoginia e cinismo.
    PELO RETORNO IMEDIATO DE BRUNO GOLEIRO AOS CÁRCERES!

  3. Bruno é assassino, não é goleiro. O time que contratar o assassino merece boicote de todas as torcedoras e, num mundo ideal, torcedores. Assassino confesso que ainda não pagou nem a pequena dívida que tem com a justiça. Ele não é goleiro, é assassino de mulher.

  4. Quando a Elisa terá a segunda chance?
    Onde está o corpo de Elisa, que não apareceu nem no cocô dos cachorros?
    Onde está a chance dessa criança ter uma mãe, uma família?
    É capaz de ser contratado e nem pagar pensão à essa criança para fazer um tratamento psicológico.
    Matou porque sabia que era mais fácil ficar uns tempos na cadeia,ou não, e se livrar dela e da pensão e ainda ficar mais famoso. E ter gente que acha que 7 anos é pagar pena como um crime bárbaro como esse. A banda Legião Urbana já cantava: “Que País é esse?”
    Não acho que a Elisa era uma das maravilhas do mundo, mas quem mandou ele se envolver, já que tinha mulher?

  5. Todo mundo falando palavras bonitas bla bla lba, pq não foi um irmão ou irma, mãe, um pai seu, por isso tão falando essas palavras bonitas ai, no brasil a verdade dói, ‘quem morreu que se fudeu”, onde esta a justiça ?’, como pode esse monstro ta solto novamente, a família não pode nem fazer o velório da mulher, vcs que apoia isso, são um bando de hipócritas desgraçados!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>