Futebol Feminino

#sãopaulinasuniformizadas: O movimento de mulheres que pede atenção – e produtos – para torcedoras

*Por Larissa Raysel (https://twitter.com/LariRaysel)

O futebol é um esporte machista e isso não é novidade para ninguém. É algo histórico e difícil de mudar, mas nós, torcedoras, vamos brigar, sim, para que tenhamos os mesmos direitos que qualquer torcedor. Só que o problema é bem, bem grande. Os “fiu-fius”, o “qual a escalação do seu time de 1962?” ou “então explica o que é um impedimento” é até pequeno perto do que vem acontecendo. Essas frases a gente já tira de letra, mas e quando a gente não consegue nem comprar a camisa do time?

O #saopaulinasuniformizadas foi um movimento surgiu de maneira espontânea no Twitter da Giovanna Sanches (https://twitter.com/gisanchs) e ganhou corpo nesta segunda-feira (06/11) quando muitas mulheres mostraram sua insatisfação por não encontrarem camisas oficiais e outros produtos do São Paulo Futebol Clube na linha feminina . “O que mais me revolta é a falta de consideração do Clube. Todas as vezes que queremos comprar algum produto da linha feminina, não tem. Isso não é de hoje, não é de semana passada. Há tempos as torcedoras reclamam disso e nunca ninguém faz nada a respeito”, conta a torcedora. O sentimento é de abandono. Não tem produtos para comprar e ninguém do Clube se pronuncia.

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Moça, vai lá tentar comprar uma camisa do seu time. Moço, procura uma camisa oficial feminina. Aproveita a Black Friday (que muitas lojas online estendem para o mês inteiro) e vai gastar o seu suado dinheirinho na camisa oficial. Eu resolvi dar uma olhada nas lojas oficiais de todos os clubes da série A, comparando disponibilidade de camisas I e II, entre as femininas e masculinas. Invariavelmente, faltava a maioria dos tamanhos tanto no uniforme I, quanto no uniforme II para as mulheres. Quanto às camisas masculinas, era difícil faltar a maioria dos tamanhos. Uma pequena minoria estava em falta.

Tudo bem, é mês de promoção e talvez tenham acabado pelos preços baixos. É comum faltar um tamanho ou outro, inclusive em loja física. Não é normal ter só tamanho EP, como acontece há dias com a camisa I do São Paulo, por exemplo. Isso é uma brincadeira de mau gosto. Pior ainda para a mulher que quer comprar a camisa fora da época de promoção. Acompanho de perto a São Paulo Mania e quase nunca tem todos os tamanhos. Normalmente só tem EP ou GG… É revoltante.

Foto Leonardo Soares-UOL

Quando começou a promoção na loja oficial do São Paulo, corri para comprar. Não tinha meu tamanho (M). E é sempre assim. Pode ser até promoção fora de época, preço normal… Do São Paulo nunca tem. “Ah, mas o preço da feminina é normalmente mais baixo que da masculina.” É isso que falta? Iguala os preços e tenham boa disponibilidade de produtos. Façam ações equivalentes. Não pedimos que produzam a mesma quantidade de camisas para homens e mulheres, porque sabemos que estamos em menor número. Pedimos apenas que vocês olhem com atenção para nós: somos um nicho do mercado que está em expansão.

Foto: UOL

É um preconceito coletivo: clube e fornecedora costumam ignorar as mulheres. Não apenas nos uniformes de jogo. A linha casual, falando agora exclusivamente do São Paulo, é falha para ambos os gêneros. Ainda assim, os homens têm muitas mais opções que as mulheres. Apenas um exemplo rápido: na São Paulo Mania, há 7 camisetas ou regatas para as mulheres. Para os homens, são 16 itens. Mais que o dobro. Isso sem contar que não há camisas de goleiro e uniforme de treino ou viagem no modelo feminino. Nos resta apelar para o modelo infantil. Há alguns clubes, porém, que vez ou outra pensam em nós.

A camisa que o Grêmio lançou para o Outubro Rosa foi uma baita ação. Não só pela causa, extremamente justa, mas também porque mostrou que muitas mulheres se interessaram pela camisa. Quando investem em boas ações visando o público feminino, o retorno para o clube é garantido.

Deixando claro que não precisa tudo ter rosa. Nós gostamos das cores do nosso time. Não somos apenas “mulheres na arquibancada”. Não estamos lá para deixar o ambiente bonito, leve, fofo: somos torcedoras e merecemos o respeito na mesma proporção do amor que temos pela camisa. Não precisamos de grandes ações. Queremos o mínimo: poder comprar a camisa do nosso time para mostrar ao mundo que vamos apoiar incondicionalmente sempre, sem ter que implorar para que haja reposição decente do material. E que esse material venha com qualidade.

Torcida não se ganha apenas com títulos. Isso passa muito pela boa relação que é necessária entre o clube e o torcedor. O que fazem hoje com nós, mulheres, é ultrajante. Temos que reclamar, sim. É trabalho de formiga, mas pouco a pouco vamos conquistar o respeito que merecemos.

Confira nosso vídeo sobre o assunto: Camisas de futebol para mulheres: #DramasReais

ATUALIZAÇÃO:  Nesta terça-feira (07/11), em sua conta oficial no Twitter, o São Paulo respondeu as queixas das torcedoras com o seguinte post: “São-paulinas, estamos acompanhando a justa manifestação . Devemos muito a vocês, e por isso explicamos: Nos últimos 2 anos tivemos um volume de vendas em artigos femininos que superou a soma dos 7 anos anteriores. Esse aumento se mostrou uma agradável surpresa e gerou um descompasso nos estoques, que estão sendo reabastecidos. Agradecemos o amor e a movimentação, e garantimos: estamos trabalhando para melhorar e oferecer mais a vocês”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *