Futebol Feminino

Por que os clubes de futebol ainda ‘ignoram’ o público feminino?

Há alguns meses, conversava com um amigo sobre a coleção de camisas de futebol que comecei recentemente. Mandei para ele uma foto das três camisas que havia acabado de comprar em uma promoção na internet – uma de Camarões, outra da Costa do Marfim, e outra do Uruguai.

Na hora, ele desatou a rir da minha cara. O tamanho das camisetas que eu estava comprando era infantil. “Que anã!”, ele disse na hora, me zoando por comprar uma camisa de criança. Ele, assim como boa parte dos homens, não parou para pensar na realidade que afeta todas as mulheres que gostam de futebol: camisas femininas são raras “nesse meio”.

Aí você pode pensar: poxa, mas todo clube tem uma versão feminina de camisa. Hoje em dia, é até possível dizer que isso é quase sempre verdade, quando se tratam dos clubes brasileiros. A maioria deles realmente faz uma versão feminina da camisa oficial. E só. Muitas vezes, nem a camisa 2 tem para mulheres. Os outros modelos, então, que os clubes desenvolvem “pelo marketing”, ficam restritos ao público masculino.

E, claro, isso vale para clubes internacionais ou seleções de fora. Para comprar uma camisa dessas aqui, só se for na versão masculina ou infantil, porque feminina nem em sonho.

Como torcedora do São Paulo, a primeira camisa oficial mesmo que tive eu só fui ganhar quando já era grande – camisas oficiais são caras, né. E lembro até hoje do dia em que meu irmão me levou na loja para comprar – eu tinha 17 anos. Não tinha versão feminina da camisa do São Paulo. Eu tive que comprar PP masculina.

Hoje, quase 10 anos depois, as dificuldades diminuíram bem pouco – leia-se: são praticamente as mesmas. A camisa oficial, ok, eu consigo comprar. Mas, por exemplo, dois dias atrás, a São Paulo Mania anunciou uma promoção de camisas oficiais com o número e o nome do Lugano a 120 reais. Mas quem disse que eles fizeram a promoção para o modelo feminino da camisa? Se eu quisesse a versão feminina, teria de pagar pelo nome e pelo número, gastando quase 30 reais a mais.

Aí o próprio São Paulo, aproveitando a euforia da torcida com a volta do Lugano, criou uma camiseta bem legal para celebrar o retorno do uruguaio. Custa R$ 69,90. Mas é claro que não tem a versão feminina.

camisa_lugano

Como não teve quando eles criaram a camisa “El Campeón Volvió” para comemorar o título da Sul-Americana de 2012. Fui comprar e, qual (não) foi a minha surpresa quando descobri que “não fizeram na versão feminina”.

Lembro de ter falado para o lojista no dia: “Poxa, vocês têm que falar para os caras fazerem um modelo feminino dessas camisetas”. Não foi a primeira vez. E não vai ser a última. E, infelizmente, você pode substituir o São Paulo por qualquer outro clube e perguntar para as torcedoras se elas já tiveram uma experiência parecida – eu garanto que 100% delas vai dizer que sim.

Quer um exemplo prático? Fui no site da Netshoes, que vende centenas de camisas de futebol, e fiz uma comparação entre o número de camisas oferecidas a homens e a mulheres:

GÊNERO
Feminino (63)
Masculino (630)

Elas representam DEZ PORCENTO deles.

O que me deixa mais p*** da vida é que esses caras não percebem a oportunidade que estão perdendo. Não percebem que a coisa mais básica para se fisgar um torcedor é vender uma camisa para ele(a). Não percebem que mulheres não só gostam de futebol, como também querem consumi-lo. Que existe um público de milhões por aí que estão apenas esperando serem minimamente atendidas para gastarem seu suado dinheiro em mais amor pelos seus clubes.

mulher-futebol-torcida-jogo-corte

E a cada “não” que elas recebem, a cada camisa negada, sabe quem sai perdendo? Só vocês, clubes. Que não percebem o potencial que teriam se olhassem com o mínimo de carinho para esse público que “só” quer encontrar uma camisa no tamanho certo para te dar mais dinheiro, para te dar mais amor.

O que falta para os clubes entenderem a importância disso? Faltam mulheres. Nos departamentos de marketing, de comunicação, nas diretorias. Faltam mulheres ocupando esses cargos para fazê-los enxergar o óbvio: futebol não tem idade e NÃO TEM GÊNERO. Futebol é para tod@s.

9 Comments

  1. Sou conselheira do Internacional, de Porto Alegre, pelo movimento O Povo do Clube. Propusemos, via reforma estatutária, que a cada dez nomes que concorressem ao conselho, dois fossem de mulheres. Nossa proporção é de 25% do quadro associativo, mas somos apenas 15 conselheiras contra 330 conselheiros. É uma luta. Sigamos!

  2. Ambos concordam, porem, que a gestao do futebol brasileiro precisa passar por mudancas. “Se tiver uma gestao modernizante na CBF, nem precisa de liga. O campeonato e bom, mas o empacotamento ainda e muito ruim”, conclui Rosenberg.

  3. Olha, eu acho que ainda hoje é uma luta encontrar camisa oficial, igual aquela que s jogadores entram em campo, para um público feminino. Fiz uma breve pesquisa, e percebi que, ao menos os grandes clubes nacionais e internacionais, patrocinados pela Nike, só disponibilizam a versão que ele chamam de Torcedor. Essa versão Torcedor tem para homens e mulheres. Já a versão que ele chamam de Jogador, que é a mesma que o time usa, essa só masculina mesmo.
    Já a Adidas houve uma variação, me pareceu que depende da iniciativa do clube, o Real Madri, por exemplo, disponibiliza em seu site, a compra da camisa feminina igual dos jogadores, inclusive com patrocínio, numeração e nome. O Palmeiras também faz isso, com exceção do nome do jogador e seu respectivo número. A camisa é sem numeração, mas pode ser personalizada. O São Paulo também é o mesmo esquema do Palmeiras, mas é o clube que manteve mais próximo da camisa masculina, já que ela não é tão decotada e nem é baby look, mas creio que isso vai do gosto de cada mulher.

    Mandei um e-mail a Nike e a meu clube e uma semana depois estou aguardando uma resposta. Mandei outro e-mail hoje. Vou pressiona-lo ou até mesmo buscar alguma medida para tentar mudar isso, sou torcedora
    , consumidora e quero uma camisa feminina, do meu time e vou lutar por isso.

  4. Gostei muito do que li aqui no seu site.Estou estudando o assunto,Mas quero agradecer por que seu texto foi muito valido. Obrigada um beijinhu 😉

  5. Realmente muito bom este post! Conteúdo Relevante!
    Gostei bastante do site, vou ver se acompanho toda semana suas postagens.
    Trabalho pela internet a alguns anos com meu blog de decoração e adoro
    tudo referente ao assunto. Sei que o assunto não é decoração mas adoro
    saber novidades em diferentes nichos e áreas. Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *