Futebol Feminino

O Coringão ganhou de virada, só 27 pessoas presenciaram

O Corinthians precisava de uma vitória. Era importante para se manter no G4 do Paulistão. O jogo era contra o Francana, adversário difícil do grupo, que também luta para se manter no G4. Jogaço, promessa de emoção. E eu sabia disso quando fui cobrir o jogo com o pessoal da Rádio Coringão.

O horário, ingrato para qualquer modalidade: 10h da manhã de um sábado frio, na Arena Barueri. Arena esta que já foi palco de diversos jogos dos times masculinos, receberia então o Corinthians Audax pelo Paulistão feminino 2016. Confesso que esperava ver algum público, mas nada. Só alguns staffs, nós na cabine de imprensa. Só. As jogadoras aqueciam. Sem novidades. Quando fiz minha estréia comentando jogo na rádio, foi num Corinthians x Independente de Limeira. Dessa vez, jogo num horário ótimo, era um domingo de sol e entrada franca em Osasco. Público menor que 30 pessoas. Assim como esse jogo.

Logo no primeiro tempo o time da Francana pressionava a saída de bola, marca em cima, se adiantando e subindo pelas costas da marcação alvinegra. Num cruzamento na área, pênalti para o Francana. Mão na bola, bola na mão, de onde vi pareceu pênalti mesmo. A cobrança foi exímia: goleira pra um lado, bola pro outro. 1×0 para o Francana.

Na segunda etapa, o Corinthians respondia as pressões que tomava no contra-ataque na mesma vontade que a equipe do Francana. As minas do Coringão começaram a impor o ritmo de jogo e uma das zagueiras foi substituída. A entrada da Pardal, no lugar da Jana, foi providencial. A defesa se organizou melhor e foi ela mesmo a autora do gol de empate. Na comemoração, muita emoção. Era nítido que o grupo é muito unido. Foi abraçada por todas. Byanca Brasil – famosa por suas lambretas nas adversárias – foi até o técnico avisar que sim, era possível construir os gols.

E depois dos 45 da etapa final, veio a virada. Nenê entrou e estufou as redes num bate rebate de bola na área da Francana que começou numa jogada da incansável Chú Santos. 2×1 para o Corinthians. Vitória na raça, com a torcida gosta. Seria melhor estar ali entre muita gente comemorando a raça e vontade das meninas que honram o manto alvinegro. Mas o público total, contado a dedo, foi de 27 pessoas.

Saí de lá com uma sensação de felicidade e impotência igualmente grandes. Feliz, porque a vitória foi emocionante, suada, conquistada lance a lance. Foi Corinthians ali. Ao final da partida, a zagueiraça Pardal deu uma entrevista emocionada. Estava há uns meses parada por lesão, entrou e conseguiu ajudar a construir a suada vitória. Mas saí triste também, porque não faço a menor idéia dos motivos pelos quais os jogos do futebol feminino não são bem divulgados nos canais oficiais de comunicação do clube. O Corinthians divulga as vezes no site, mas nas redes quase sempre é pós jogo. A Fiel Torcida é imensa, tenho plena certeza que acompanhariam se soubessem antes dos jogos. Essas meninas – e o futebol feminino – precisa de prestígio. A torcida precisava estar ali, ajudando e dando força. Façamos nossa parte!

Aqui o gol da virada no vídeo: https://www.facebook.com/radiocoringao/videos/1249069721771179/

Virada do Coringão, as minas brilham demais
Virada do Coringão, as minas brilham demais

 

One Comment

  1. Oi queridas, eu queria saber onde há informação de quando/onde terá jogos de futebol feminino na internet, e onde comprar… Eu queria tanto acompanhar e apoiar mais, mas nem isso é divulgado…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *