Futebol Feminino

Finalmente, Carli Lloyd

CYddfNWWkAEoKU0

Quando o mundo inteiro olhou para Hope Solo pelas defesas na final das Olimpíadas de Pequim, a autora do gol que levou os EUA a medalha de ouro foi Carli Lloyd. Quando todo mundo falava de Abby Wambach, melhor do mundo na época, a autora do gol do ouro em Londres foi Carli Lloyd. Em 2015 falava-se em Megan Rapinoe, Alex Morgan e, finalmente, Carli Lloyd teve os holofotes para ela.

E não podia ser diferente. Ela dominou a Copa do Mundo, orquestrou o meio campo americano e foi autora de 6 gols durante a competição. Três deles durante a final, com direito a um golaço da linha do meio de campo que encobriu a goleira japonesa e esteve entre os 10 gols mais bonitos do Prêmio Puskas.

A atuação de gala durante a Copa no Canadá lhe rendeu a indicação a Bola de Ouro da FIFA. Indicadas junto com Lloyd estavam a alemã Célia Sasic e a japonesa Aya Miyama. Lloyd não é tão habilidosa e goleadora quanto Célia Sasic, mas é mais experiente e tem uma leitura de jogo melhor. Muito mais classe.

Nos últimos anos, Lloyd soube subir de patamar, entender seu papel de liderança e assumir o ritmo do time americano. É a jogadora em que todas confiam. Por isso, é por ela que as jogadas começam. E dada a quantidade de gols importantes da última Copa do Mundo, é com ela que algumas das jogadas mais importantes terminam também. É aquela 10 que todos gostariam de ter em seus times.

Carli Lloyd soube ter paciência. Trabalhou como poucas, foi uma das melhores coadjuvantes que Wambach, Solo, http://findviagrapills.com Pinoe e Morgan tiveram nos últimos anos. Sem ela, essas quatro seriam muito menos. Finalmente chegou a hora dela. Finalmente ela foi eleita a melhor do mundo.

One Comment

  1. Eu morei muito tempo nos EUA, e acompanho o Futebol feminino e a Selecao Americana! E sou um fan do trabalho delas! Gostaria de entrar em contacto com Maria Guimaraes pois gostei dos comentarios e do conhecimento dela sobre as americanas! Muito Obrigado!
    Cezar

Comments are closed.