Futebol Feminino

Equipe campeã gaúcha de futsal feminino abandona competição por falta de apoio financeiro

MGA Games, equipe campeã gaúcha de futsal feminino (Foto: Divulgação)
*Por Tamara Finardi, colaboração para ~dibradoras

 O que mantém uma equipe esportiva? Seus títulos, suas conquistas, sua história? O que dizer da equipe de futsal feminino MGA Games (Caxias do Sul – RS), que em pouco mais de dois anos de trabalho com a categoria conquistou a façanha de se sagrar bicampeã gaúcha, mas que acaba de ter o sonho da busca pelo “Tri” interrompido de forma abrupta e frustrante por falta de recursos financeiros.

Essa falta de apoio teve seu ponto crucial com o indeferimento das verbas advindas do programa Fiesporte do município de Caxias do Sul. Além da competição estadual, a equipe também deixará de participar da Taça Brasil onde iria representar o Rio Grande do Sul.

“Estamos sem chão”, foi a primeira reação de Mimo Borges, Presidente do MGA, ao tratar sobre o assunto. Ele conta que o projeto do MGA apresentado para o programa Fiesporte foi aprovado – o futsal feminino se encaixava no projeto de “alto rendimento” -, que previa custeio de viagens, transporte, alimentação, professores, fardamento, equipamentos. Mesmo com a aprovação, a equipe foi comunicada que o repasse poderia sofrer atrasos.

“Eles informaram que estavam regularizando e foram levando mês a mês, até chegar na metade do ano e informar que o projeto não seria deferido para ninguém”. Sem essa ajuda de custos, a equipe que disputava o Estadual se viu obrigada a abandonar a competição. Mimo Borges também lamenta o fato de que vários projetos deixaram de contar com esse apoio, e dessa forma o esporte de forma geral acabou sendo prejudicando no município.

“Era muito bom jogar no MGA, e isso pra gente é uma perda que não tem dimensão, o quanto dói saber que o MGA não está mais no Estadual e não vai poder participar da Taça do Brasil”, lamenta a ex-capitã da equipe Ketlin Borges, conhecida carinhosamente como Teti. Após o anúncio do fim do MGA feminino adulto, ela foi contratada pela Associação Desportiva de Telêmaco Borba – PR.

Ela incentiva as ex-companheiras da equipe laranja a não desistir dos seus sonhos: “Sei que o futsal ainda vai abraçar todas as meninas que estavam no MGA. Espero que elas não desistam e continuem tentando. Ainda vamos nos encontrar muito nas quadras da vida”. Para finalizar, Teti ainda demonstra a esperança de ver o MGA de volta as quadras com o Futsal Feminino: “Eu não desisto no MGA porque sei que é um até logo, que ele vai voltar e com força máxima”.

Se nem a conquista de títulos e a representatividade de ser a atual campeã são capazes de garantir o trabalho de uma equipe de futsal feminino, isso significa que a falta de apoio ainda é extremamente evidente, e que é preciso voltar os olhos de forma mais atenta para as guerreiras que fazem da quadra parte de sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>