Futebol, Futebol Masculino

~Dibres na Arquibancada: Eu, meu pai e nosso amor pelo Santos Futebol Clube

 

*Por Isabel Santos Nascimento

Eu adoro quando me questionam se eu gosto de futebol, e, principalmente, quando essa pergunta vem junto com a “qual time você torce?”. Eu sempre gosto de deixar um silêncio e ouvir a pessoa tentar adivinhar. Depois de um tempo e de várias tentativas em vão eu falo “sou santista”. E então vem o estranhamento “você é de Santos?”, “mas você vai mesmo ao estádio?” “seu pai te forçou?”, “ah, entendi, você tem cara de Neymarzete”.

Bom, pra falar a verdade a maioria dessas respostas é sim, principalmente a parte do Neymar, mas eu ainda acho muito interessante a criatividade das pessoas. É como se nós tivéssemos que ter uma razão para gostar, você não pode simplesmente ter vontade e torcer. Maaas, se você é homem ninguém faz um formulário sobre seus motivos, sobre quantos jogos já foi, sobre a escalação e a regra do impedimento, a conversa acaba em “qual o seu time?” e fim.

Então tá bom, se vocês querem razão eu dou uma razão, o nome é Antonio Pereira. O futebol sempre esteve na minha vida por causa dele, de forma positiva e negativa ele trouxe pra casa.  É o futebol que controla desde o canal da televisão até o humor do meu pai. Ele é uma enciclopédia, sabe de tudo, comenta tudo, tem opinião pra tudo e com futebol não é diferente, mas aí apareceu uma pecinha chamada “internet”, e com tecnologia ele nunca foi tão bom assim, foi aí que eu vi meu espaço para chamar sua atenção.

Minha irmã já era sua amiguinha de cinema, sua fã de Star Wars e Senhor dos Anéis. Eu não aguentava ver 10 minutos sem dormir. Então eu comecei a pesquisar coisas sobre futebol, ver as notícias antes dele e entregar em primeira mão, eu amava fazer isso e ele também. Eu pesquisava coisas, sabia das contratações, demissões… Eu era sua informante número 1 sobre o Santos e, de informante, comecei a entender e compartilhar daquele sentimento.

Ele é cheio de manias e superstições estranhas quando se trata de assistir ao santos, sempre sentado da mesma forma, segurando o joelho nas horas tensas, chutando o ar quando a bola está na pequena área, nunca vendo o jogo em HD – porque, obviamente, o HD dá azar – e só comemorando depois do apito final, nem ouse falar que o jogo está ganho perto dele antes do fim. E, por favor, começou em um canal, termina no mesmo canal. Se você levantar do sofá e for gol do Santos, a chance de você ter sido o azar até o momento é grande, e maior ainda é a chance de você ser convidado a ver o fim do jogo em outro lugar.

Eu entrei no mundo do futebol e ele tem muito orgulho que hoje eu faça parte disso, mesmo discordando de quase todos os comentários sobre o seu time e na maioria das vezes corrigindo as informações. A casa inteira sabe quando tem jogo do Santos, minha mãe nem passa perto da televisão e mesmo sendo palmeirense ela torce para a vitória porque sabe que sua vida será muito mais tranquila com nós dois felizes em casa.

Eu sou muito agradecida ao Santos, se não fosse meu amor por ele, eu não estaria trabalhando com isso, respirando e vivendo futebol. Eu não seria a parceira do meu pai e jamais saberia a sensação de gritar GOL, do coração bater mais forte e explodir no peito o grito de “É CAMPEÃO”. Na verdade, eu nem consigo imaginar como as pessoas conseguem viver sem ter um time, sem sentir tudo isso.

Futebol pra mim é muito mais que 90 minutos, é o que me liga ao meu pai, é o que me torna mais do que filha, “parceirinha”, é um estado de espírito no antes, durante e depois do jogo, é começar a segunda feira lembrando que tem Libertadores na quarta e já se animar, é saber que não importa o número de coisas que eu ou meu pai vamos fazer no dia, quando chegar a hora do jogo estaremos sentados no sofá, nervosos, assistindo e xingando todo mundo, vendo nosso time em baixa definição. E mais certeza ainda, é que independente do resultado, vai ser o melhor momento do meu dia.

One Comment

  1. Hahahah Bel, esses filmes são clássicos! Mas acho que chegamos a uma divisão justa sobre o papai ❤️ OTIMO texto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *