esporte, Futebol Feminino

Devia estar na cozinha? Melhor jogadora de futsal do mundo responde: Nosso lugar é a gente que escolhe

Amandinha

Apenas 22 anos de idade e um currículo invejável que já soma três troféus de melhor jogadora de futsal do mundo. Essa é Amanda Lyssa, mais conhecida como Amandinha, uma craque digna de camisa 10 que coleciona títulos na modalidade.

Mas em meio à alegria da conquista do prêmio, a atleta teve de lidar com o preconceito que, infelizmente, já se tornou rotina em seu dia-a-dia como jogadora. No Twitter, um homem comentou a matéria que noticiava a premiação de Amandinha dizendo que ela “deveria voltar para a cozinha”.

Na mesma rede social, Amandinha chamou a atenção para a atitude: “Até quando? Compartilhem, podemos agir contra pessoas assim”.

Não é que a jogadora se abale com comentários assim, sem nenhum fundamento em pleno 2017. Mas ela quer mostrar às tantas meninas que virão depois dela que não é preciso aguentar mais nada em silêncio.

“Eu compartilhei a opinião daquele homem mais pelo fato de mostrar pras pessoas, pras mulheres em si, que não devemos nos abater, no esporte ou no cotidiano, que a gente tem como enfrentar e que não temos que ouvir nada caladas”, disse às dibradoras.

“Somos de igual para igual com qualquer pessoa e podemos, sim, fazer o que quisermos, onde quisermos, na hora que quisermos.”

insulto_amandinha

Amandinha começou a jogar futsal na escola e vira e mexe ouvia comentários como os do homem do Twitter. Mas nunca de abalou com eles. Com o apoio que recebeu dentro de casa e dos amigos, buscou seu espaço no futsal e, ainda bastante nova, chegou à seleção brasileira para conquistar o mundo.

“Sempre acontecem esses preconceitos, desde que você começa no esporte, pelo fato de ser mulher, de ser muito desacreditada. O fato de o esporte ser generalizado masculino, então acontece esse preconceito, mas eu sempre tirei isso de letra, coloquei na minha cabeça que quem eu tinha que escutar era as pessoas que me amam e torcem por mim”, contou.

“E eu procuro sempre ter a mente forte para continuar fazendo o que eu amo.”

Seu início no futsal profissional foi recente, há seis anos, e hoje ela já se sente orgulhosa por poder inspirar milhões de meninas a seguirem carreira no esporte.

“O início da minha carreira foi jogando Escolares em Fortaleza. Jogava numa escola do bairro, aí fui convidada pra disputar competições maiores ali no meu Estado. E aí fui jogar o Brasileiro escolar e acabei sendo vista pelo Barateiro, e o técnico de lá me convidou. Cheguei lá em 2011, passei seis anos lá, e hoje estou nas Leoas da Serra, meu primeiro ano aqui.”

“Ganhar esse título de melhor do mundo pela terceira vez é fruto de muito trabalho, muita dedicação. Eu gosto muito de representar o futsal feminino, gosto muito de representar essas meninas que sonham, têm o desejo de um dia estar em uma seleção brasileira, que elas se espelham em mim, então esse título vem pra coroar essa vontade de representar o futsal feminino”, pontuou.

O futsal feminino no Brasil, porém, ainda é bastante “amador”. Há um Campeonato Brasileiro, mas o calendário da modalidade ainda é restrito e poucas atletas conseguem viver “apenas” do futsal. O cenário mundial do esporte no feminino também é difícil. Mas o Brasil é dominante absoluto, vencendo todas as seis Copas do Mundo disputadas até hoje – no ano passado, o torneio não foi realizado.

amandinha_selecao

 

Na lista de indicadas ao prêmio de melhor do mundo, das 10 jogadoras, cinco eram brasileiras. O prêmio na maioria das vezes acaba ficando por aqui – a ala Vanessa, por exemplo, também já faturou o troféu três vezes.

“A maior dificuldade para o futsal feminino não crescer no país é a falta de visibilidade, de apoio, é as pessoas acharem que é esporte feminino, que talvez não seja tão bom quanto o masculino”, disse Amanda.

Mas eu duvido que eles saiam com a mesma opinião depois de verem uma partida de alto nível do futsal feminino, que é tão brilhante quanto o futsal masculino. Então falta visibilidade, falta apoio e força de vontade das pessoas que estão no poder fazer desse esporte grande.”

Por tudo isso, o maior sonho das atletas da modalidade era ter um reconhecimento maior para o esporte e vê-lo, quem sabe um dia, se tornar olímpico.

“Sempre cito que apenas com 22 anos eu já conquistei todos os títulos do futsal feminino. Mas hoje meu maior sonho é jogar uma Olimpíada, é que o futsal se torne olímpico. E que o futsal seja mais valorizado. Vou lutar muito ainda pela minha modalidade.”

One Comment

  1. Devia estar na cozinha? Melhor jogadora de futsal do mundo responde: Nosso lugar é a gente que escolhe | ~dibradoras Descubra os Segredos para Despertar Atenção no Whatapp e Sair com Pessoas. Se deseja o melhor material de conquita pelo whatsapp e aplicativos de mensagem você precisa conhecer este curso completo. Uso e Recomendo a Amigos! Acesse https://goo.gl/Mx9ZSD e Saiba Mais
    Conquista pelo Zap https://goo.gl/Mx9ZSD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *